www.esmeraldanoticias.com.br
                       

Aleluia se coloca à disposição para ocupar cargo no governo Bolsonaro

IMAGEM_NOTICIA_5 (3)Elogiado pelo ministro Onyx Lorenzoni (DEM-RS) durante a posse, José Carlos Aleluia não descarta ocupar uma vaga dentro da Casa Civil. “Não estou negociando nada, mas estou disponível para ajudar o governo, que tem liberdade. Quando eu puder desempenhar melhor uma função do que outras pessoas, me coloco à disposição”, disse o deputado federal baiano não reeleito. 

Sobre a permanência na presidência do diretório do democratas, Aleluia preferiu não cravar se deixa o comando. “Não existe cargo vitalício, mas posso estar em qualquer posição. Tudo tem que ser decidido com o partido”, assentiu. Após terminar o mandato, Aleluia pretente voltar a exercer a profissão de engenheiro. 

Fonte: Bahia Notícias

Se você não quer virar notícia não deixe que o fato aconteça,
acesse:www.esmeraldanoticias.com.br
Aqui a notícia em primeiro lugar e em tempo real

Em 2019, a Lavagem do Bonfim foi marcada pela concórdia e pelo ‘sincretismo’ político

IMAGEM_NOTICIA_5 (2)Convertida também na inauguração do calendário político da Bahia, a Lavagem do Senhor do Bonfim de 2019 foi marcada por certo grau de esfriamento do assunto. Mesmo com os dois principais atores, Rui Costa e ACM Neto, presentes, a festa foi ainda mais profana do que sagrada, como já vinha sendo a tradição, mas também menos politizada. Até mesmo o governador e o prefeito incorporaram o Hino do Bonfim e preferiram a concórdia a qualquer tipo de tensionamento. Prevaleceu a paz.

Estimativas extra-oficiais apontam que a edição de 2019 da mais tradicional festa do sincretismo religioso da Bahia foi a maior da história. Em número de pessoas, talvez. Porém a tradição da lavagem das escadarias foi mantida por um grupo cada vez menor de baianas. É preciso incentivar a renovação da tradição para que não se perca com o tempo. Fora essa preocupação, o Bonfim foi uma bela festa.

Depois de “deixarem as ideologias no gabinete”, como defendeu um dos líderes religiosos que estavam à frente da Catedral Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, Rui e ACM Neto se misturaram à população. Não que nos anos anteriores isso não tenha acontecido. O diferencial desta quinta-feira (17) foi que os grupos dos dois líderes acabaram misturados e os já tradicionais blocos políticos não ficaram tão estanques como no passado. Foi quase um sincretismo partidário, do ponto de vista da ocupação de espaços. 

A sensação é de que, sem a iminência de eleição, as lideranças estavam “desarmadas” de tensões, o que permitiu que andassem lado a lado, ainda que divididas pelas respectivas claques. O Bonfim, nesse ponto, pareceu mais “mágico” do que em outras oportunidades, pois conseguiu juntar água e óleo, de mãos dadas – ainda que tenha sido apenas para rezar o Pai Nosso.

Entre as figuras destacáveis do contexto eleitoral, além do governador e do prefeito, chamou a atenção o intenso assédio a Bruno Reis e Geraldo Jr., cercados por seus súditos fiéis (ou nem tanto assim), e de Guilherme Bellintani, em parte pela presidência do Bahia, mas também por ser citado como um candidato forte para 2020. Do lado de Rui, nenhum nome pareceu saltar dos olhos além do próprio ocupante do Palácio de Ondina.

Como preza as homenagens ao Senhor do Bonfim, em 2019 prevaleceu a paz entre os baianos. Que o ritmo de sincretismo ditado pela Lavagem siga pelo resto do ano.

PS: Depois de uma ausência temporária ano passado, o Bonfim não teve em definitivo a presença do ex-governador Waldir Pires, que até 2017 percorria os 8km até a Colina Sagrada ao seu próprio passo. A ele, nossa homenagem.

Este texto integra o comentário desta quarta-feira (16) para a RBN Digital, veiculado às 7h e às 12h30, e para as rádios Excelsior, Irecê Líder FM, Clube FM e RB FM.

Fonte: Bahia Notícias

Se você não quer virar notícia não deixe que o fato aconteça,
acesse:www.esmeraldanoticias.com.br
Aqui a notícia em primeiro lugar e em tempo real

‘Rui tem mais com que se preocupar’, diz presidente do PT sobre racha na CMS

IMAGEM_NOTICIA_5 (6)Gilmar Santiago, presidente municipal do PT, garantiu que a divisão do grupo de oposição ao prefeito ACM Neto (DEM) na Câmara Municipal de Salvador (CMS) não está entre as preocupações de Rui Costa (PT). “O governador tem coisas mais importantes para se preocupar”, disse, em defesa das críticas que o gestor petista tem sofrido de vereadores de situação da capital sobre o racha. 

Os vereadores do PSB, PCdoB e PSOL anunciaram nesta segunda-feira (15) a formação de um bloco de oposição independente após a escolha de Sidninho (Pode) para liderar o grupo na CMS (veja aqui). Santiago lamentou o racha que pode enfraquecer a já esmirrada oposição na capital, mas declarou que acredita que o diálogo e o tempo podem reverter a situação e unir os edis que compartilham a mesma agenda de oposição. 

“Lamento que a oposição não tenha conseguido atuar de forma unificada para resolver esse problema da liderança. Lamento principalmente porque esse bloco vai de encontro à relação histórica de formações entre o PT, PSB e PCdoB”, disse Santiago. 

INTERFERÊNCIA DE RUI
Apesar da divisão do grupo na Câmara enfraquecer a oposição em Salvador, Santiago opinou que Rui não deve intervir no imbróglio. “Está é uma articulação na Câmara e o governador sempre respeitou a autonomia do Poder Legislativo”, disse. 

Para o presidente, a vitória de Rui nas eleições, por si só, já representa a força do poder oposicionista na cidade. “O governador se reelegeu com mais de 75% dos votos, inclusive em Salvador. Ganhou do candidato do prefeito ACM Neto (DEM) em todas as zonas”, bateu. 

O dirigente ainda defendeu que Rui estará ocupado “entregando obras na cidade” e por isso não se envolverá. “A preocupação do governador é entregar obras. Essa parte de articulação diz respeito aos partidos e o governador não tem responsabilidade nenhuma nisso. A bancada não teve eficácia para se unificar”, alfinetou. 

Fonte: Bahia Notícias

Se você não quer virar notícia não deixe que o fato aconteça,
acesse:www.esmeraldanoticias.com.br
Aqui a notícia em primeiro lugar e em tempo real

Mais de 20 nomes já foram cogitados para sucessão de ACM Neto

IMAGEM_NOTICIA_5 (5)Quem, de fato, vai disputar a sucessão do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), em 2020, ainda é muito cedo para bater o martelo, mas ao menos 23 nomes já mostraram interesse em ser candidato ao Palácio Thomé de Souza daqui a dois anos.

A maior parte dos nomes especulados é do grupo do governador Rui Costa (PT). Ao todo, 14 aliados do petista já falaram publicamente sobre a vontade de ser postulante ou não descartaram a hipótese. Um caso que tem chamado a atenção, no entanto, é do presidente do Esporte Clube Bahia, Guilherme Bellintani. Sem partido, o dirigente do tricolor tem sido cotado para competir tanto pela base petista quanto pelo grupo de ACM Neto.

O PT e o PRB são os partidos com mais nomes desejantes pelo Palácio Thomé de Souza. Na ala petista, tem Valmir Assunção, Nelson Pelegrino e Robinson Almeida. Já pela sigla ligada à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD): Márcio Marinho, Tia Eron e João Roma.

As demais legendas: DEM (Bruno Reis), PCdoB (Olívia Santana e Alice Portugal), PSDB (Antonio Imbassahy e João Gualberto), Avante (Pastor Sargento Isidório e Maria Quitéria), Podemos (Bacelar), PSB (Lídice da Mata), Solidariedade (Geraldo Júnior), PP (Cacá Leão), PSD (Manasses e Antonio Brito), PSL (Dayane Pimentel).

Sem partidos, há Walter Pinheiro e Fábio Vilas Boas, secretários do Estado de Educação e Saúde, respectivamente. Para o professor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e cientista político, Maurício Ferreira Silva, é normal a especulação de nomes, mas a tendência é aglutinação de candidatos.

“A tendência no grupo de ACM Neto é que a indicação de ACM junte a base de apoio que está hoje na prefeitura. Essa é tendência. Assim como, a depender do cenário nacional, ter única candidatura representando o governo do estado. Seriam as duas candidaturas que, mais uma vez, vão polarizar o cenário em 2020”, analisou, em entrevista ao Bahia Notícias.

No entendimento de Maurício, é prematuro dizer se a modificação na legislação, que acaba com as coligações em eleições promocionais, irá impactar o pleito majoritário, que não impede as alianças entre siglas. No entanto, o cenário nacional, segundo o docente, deve mexer no plano municipal, já que legendas, que integram a base de Rui Costa, também devem apoiar o governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Fonte: Bahia Notícias

Se você não quer virar notícia não deixe que o fato aconteça,
acesse:www.esmeraldanoticias.com.br
Aqui a notícia em primeiro lugar e em tempo real

Governo estuda sistema de pontos na transição da reforma da Previdência

IMAGEM_NOTICIA_5 (4)Para reduzir a polêmica em torno da idade mínima dos que estão prestes a se aposentar, a equipe econômica do governo Jair Bolsonaro (PSL) estuda a criação de um novo sistema de pontuação para a regra de transição na reforma da Previdência.

Os parâmetros ainda estão em análise, mas basicamente seria uma versão do modelo atual conhecido como 85/95.

Pela proposta em análise, os homens teriam que atingir 110 pontos ao somar a idade com o tempo de contribuição.

Para as mulheres, inicialmente, o grupo de técnicos estipulou que soma deve chegar a 108 pontos. No entanto, já se avalia estipular um valor menor, talvez 106 pontos.

Haveria ainda um bônus de 10 ou 12 pontos. Os valores estão em análise.

O sistema de pontos em estudo deve impactar principalmente a aposentadoria por tempo de contribuição, segmento em que as pessoas conseguem o benefício precocemente -na avaliação dos especialistas na área.

A regra atual prevê 30 anos de trabalho formal para as mulheres e 35 anos para os homens. Quem está nesse segmento tem conseguido se aposentar com menos de 60 anos.

O sistema de pontuação seria opcional. Quem entrasse na regra de transição poderia escolher se aposentar pelos pontos ou pela idade mínima.

A idade mínima ainda não foi fechada pela equipe econômica de Paulo Guedes, mas já alimenta polêmicas públicas no atual governo.

O próprio presidente declarou que defende idade mínima de 57 anos para mulheres e 62 anos para homens até 2022.

A proposta feita na gestão de Michel Temer, que pode ser aproveitada, propõe 62 anos, para mulheres, e 65, para homens. Proposta elaborada pelo economista Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central, e pelo especialista em Previdência Paulo Tafner defende uma idade mínima única de 65 anos.

Bolsonaro, porém, já disse, mais de uma vez, que considera essa idade muito alta.

Simulações feitas pela reportagem indicam que o sistema de pontuação prolongaria o tempo de trabalho em relação à proposta de Temer. No entanto, exigiria menos tempo em relação a três outros projetos que estão na mesa: a de Armínio-Tafner, a do economista Fabio Giambiagi e a da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômica).

Uma mulher com 53 anos idade, que tenha 27 anos de contribuição, somará 80 pontos. Com um bônus de dez pontos e considerando o teto de 108 pontos, teria de trabalhar nove anos –seis a mais em relação à regra atual.

Apesar da pontuação maior para os homens, eles esticarão menos o tempo de trabalho na transição, pois já se aposentam mais tarde.

Um trabalhador com 56 anos de idade e 33 de contribuição precisará de cinco anos e meio a mais de atividade para conseguir o benefício com a soma 110. Sem essa regra, ele levaria dois anos para ter aposentadoria por tempo de contribuição.

Técnicos que se dedicam a fazer simulações para testar o novo sistema esperam concluir o trabalho nesta semana.

Segundo o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, o presidente deve receber uma proposta até o próximo domingo (20), ideia é que Bolsonaro use a viagem ao Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça, para discutir o tema e poder bater o martelo sobre o texto na volta. O Fórum Econômico acontecerá entre os dias 22 e 25.

Questionado sobre mais detalhes da reforma e sobre a possibilidade de militares e políticos também serem afetados, o ministro disse não poder falar.

Fonte: Bahia Notícias

Se você não quer virar notícia não deixe que o fato aconteça,
acesse:www.esmeraldanoticias.com.br
Aqui a notícia em primeiro lugar e em tempo real

Decreto que flexibiliza posse de armas ignorou sete sugestões de Sergio Moro

IMAGEM_NOTICIA_5 (3)O decreto que flexibiliza a posse de armas, editado pelo presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira (16), tem ao menos sete diferenças em relação à minuta elaborada pelo ministro da Justiça, Sérgio Moro, de acordo com a Coluna do Estadão.

A sugestão de Moro era mais restritiva: previa a posse para duas armas, e não quatro; não prolongava automaticamente registros já concedidos para dez anos e exigia a comprovação de cofre para artefatos, e não a mera declaração.

Na versão de Moro, era possível negar o pedido de registro com base em “fundadas suspeitas” de informações falsas ou de ligação com grupos criminosos. No texto final, só é negada a solicitação se houver comprovação desses pontos.

O decreto assinado pelo presidente libera entidades de tiro desportivo a fornecer a associados e clientes armas recarregadas para uso em suas dependências. Já o texto encaminhado por Moro ao Planalto, no dia 4, não faz menção a isso.

Bolsonaro não acatou integralmente nenhum dos tópicos principais abordados por Moro (quem tem direito, em quais situações o pedido pode ser negado, prazo do registro e local seguro). Na maioria dos casos, fez modificações que ampliam o acesso.

Fonte: Bahia Notícias

Se você não quer virar notícia não deixe que o fato aconteça,
acesse:www.esmeraldanoticias.com.br
Aqui a notícia em primeiro lugar e em tempo real

Partidos de esquerda não chegam a acordo e podem liberar voto para presidente da Câmara

IMAGEM_NOTICIA_5 (1)Depois de três horas de conversa na noite desta terça-feira (15), a reunião entre PSB, PDT e PC do B para definir quem o bloco apoiará na disputa pela presidência da Câmara terminou do mesmo jeito que começou: sem consenso.

Enquanto PDT e PC do B querem apoiar a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) em 1º de fevereiro, o PSB insistiu que não tem como seguir com ele depois que o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, entrou na chapa.

Sem conseguir convergência, os três partidos de esquerda buscam agora uma saída para manterem o bloco sem que precisem defender oficialmente um mesmo candidato na Câmara, o que acaba sendo negativo para todos aqueles que esperavam um apoio formal do grupo.

Juntos, esses partidos têm 69 deputados, mais que o PT, sigla com a maior bancada na Casa, com 56 deputados. PSB, PDT e PC do B fazem força para se manterem juntos porque, no início de uma legislatura, tamanho é, sim, documento.

Com 69 integrantes, o bloco tem estatura para, independentemente de quem vença a eleição, negociar posições na Mesa Diretora da Câmara e o comando de comissões, algo que, além de cargos, garante força política às legendas.

“Ninguém mudou de posição. Até porque, como foi uma decisão tirada nas bancadas, não dá para a direção do partido nem a liderança alterar este posicionamento. É algo que teria que ser reavaliado em cada bancada. Se não tem convergência em relação à presidência, qual é o movimento que a gente pode fazer que garanta a constituição e a continuidade do bloco? É nisso que a gente ficou de pensar”, afirmou o líder do PSB na Câmara, Tadeu Alencar (PE), após a reunião.

A cúpula de cada sigla vai voltar a reunir suas bancadas para buscar um caminho regimentalmente viável para manter o bloco. Uma alternativa aventada é liberar o voto para presidente, o que exigirá que cada candidato negocie individualmente com os deputados.

Fonte: Bahia Notícias

Se você não quer virar notícia não deixe que o fato aconteça,
acesse:www.esmeraldanoticias.com.br
Aqui a notícia em primeiro lugar e em tempo real

 

Camaçari: MP-BA abre inquérito para apurar supostas irregularidades na Câmara

IMAGEM_NOTICIA_5O Ministério Público do Estado (MP-BA) instaurou um inquérito para averiguar supostas irregularidades na locação de veículos, aquisição de vale combustível, vale refeição e outros benefícios, concedidos aos integrantes da Câmara Municipal de Camaçari. Aberto desde o dia 8 de janeiro, o inquérito foi publicado no Diário de Justiça desta quarta-feira (16).

A investigação, que será conduzida pela 7ª Promotoria de Justiça da cidade, tramita na área de “Proteção da Moralidade e do Patrimônio Público”. O promotor responsável será Everardo José Yunes Pinheiro, titular da unidade regional do órgão.

Fonte: Bahia Notícias

Se você não quer virar notícia não deixe que o fato aconteça,
acesse:www.esmeraldanoticias.com.br
Aqui a notícia em primeiro lugar e em tempo real

Carga tributária brasileira chegou a 32,4% do PIB em 2017

IMAGEM_NOTICIA_5 (4)Com a alta de impostos sobre combustíveis, a carga tributária atingiu 32,43% do PIB (Produto Interno Bruto) no ano passado, o maior valor em quatro anos, segundo números divulgados nesta segunda-feira (3) pela Receita Federal.

Na comparação com 2016, a carga teve uma leve alta de 0,14 ponto percentual, que pode ser atribuída principalmente, segundo o órgão, à elevação de PIS/ Cofins sobre combustíveis (gasolina e diesel) em 2017.

O Brasil possui uma carga tributária em patamar similar ao de países desenvolvidos, que devolvem os impostos à sociedade na forma de serviços de maior qualidade. Quando a comparação é com países da América Latina, em 2016 o Brasil só perdia para Cuba, que possuía carga tributária de 41,7%, segundo a Receita.

A carga média dos países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), entidade considerada uma espécie de clube de nações ricas, foi de 34,3% do PIB no ano retrasado.

Mesmo estando levemente abaixo da média, o Brasil paga mais impostos em relação ao seu produto bruto do que países como EUA (26%), Chile (20,4%), Canadá (31,7%) e Israel (31,2%), por exemplo.

Ao mesmo tempo, paga menos que países como Dinamarca (45,9% do PIB), Suécia (44,1% do PIB), Noruega (38% do PIB) e Alemanha (37,6% do PIB), por exemplo, que são conhecidos por oferecer a seus cidadãos fortes redes de proteção social.

A Receita ponderou que, apesar da elevada carga tributária, houve uma redução nessa relação entre impostos e PIB na última década. Em 2007, de acordo com o órgão, a carga era de 33,65% do produto.

“Do ponto de vista histórico, observa-se que no período de 2007 a 2016 o Brasil promoveu uma redução na carga tributária, ao passo que a média dos países da OCDE apresentou aumento”, afirmou o órgão no levantamento.

Fonte: Bahia Notícias

Se você não quer virar notícia não deixe que o fato aconteça,
acesse:www.esmeraldanoticias.com.br
Aqui a notícia em primeiro lugar e em tempo real

Segunda Turma do STF decide se concede liberdade a Lula nesta terça-feira

IMAGEM_NOTICIA_5 (1)A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) julga, nesta terça-feira (4), um novo pedido de liberdade da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A ação dos advogados do petista foi ajuízada após Sérgio Moro deixar a magistratura para ser ministro no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). O argumento da defesa do ex-presidente é de que o julgamento de Moro não foi imparcial.

Compõem a Segunda Turma do STF os ministros Edson Fachin (relator), Ricardo Lewandowski, Celso de Mello, Cármen Lúcia e Gilmar Mendes.

Fonte: Bahia Notícias

Se você não quer virar notícia não deixe que o fato aconteça,
acesse:www.esmeraldanoticias.com.br
Aqui a notícia em primeiro lugar e em tempo real

Imagens

Entrar | Desenvolvido por HNews themes